O que é Jihad?

0
o que é a jihad no islam

Guerra Santa Islâmica? Muçulmanos Matando Judeus e Cristãos?


Isso é o que nos é dito – pela mídia ocidental. Mas qual é a verdade real por trás dessa palavra JIHAD?

No sentido linguístico, a palavra árabe “Jihad” significa luta ou esforço e aplica-se a qualquer esforço exercido por qualquer pessoa. Nesse sentido, um aluno luta e se esforça para obter uma educação e passar o curso; um funcionário se esforça para cumprir seu trabalho e manter boas relações com seu empregador; um político se esforça para manter ou aumentar sua popularidade com seus constituintes e assim por diante. O termo luta ou esforço pode ser usado para/por muçulmanos, bem como por não-muçulmanos; por exemplo, Deus, o Uno e Único Deus verdadeiro diz no Alcorão:

“E recomendamos ao ser humano benevolência para com seus pais. E lhe dissemos: “E, se ambos lutam (Jahadaka) contigo, para que associes a Mim o de que não tens ciência, não lhes obedeças…” [Sagrado Alcorão 29:8; veja também 31:15]

Nos dois versos anteriores do Alcorão, são pais não-muçulmanos que se esforçam (Jahadaka) para converter seu filho muçulmano de volta à sua religião.

No Ocidente, a “Jihad” é geralmente traduzida como “guerra santa”, um uso que a mídia popularizou. De acordo com os ensinamentos islâmicos, não é nada santo instigar ou iniciar a guerra; No entanto, algumas guerras são inevitáveis e justificáveis. Se traduzimos as palavras “guerra santa” de volta ao árabe, encontramos “Harbun Muqaddasatu”, ou “Guerra sagrada”, “Al-Harbu Al-Muqaddasatu”. NÓS DESAFIAMOS qualquer pesquisador ou erudito a encontrar o significado de “Jihad” como guerra santa no Alcorão ou autênticas coleções de Hadith ou na literatura islâmica antiga. Infelizmente, alguns escritores e tradutores muçulmanos do Alcorão, Hadith e outra literatura islâmica traduzem o termo “Jihad” como “guerra santa”, devido à influência da propaganda ocidental dos séculos. Isso poderia ser um reflexo do uso cristão do termo “Guerra Santa” para se referir às Cruzadas de mil anos atrás. No entanto, as palavras em árabe para “guerra” são “Harb” ou “Qital”, que são encontrados no Alcorão e no Hadith.

Para os muçulmanos, o termo JIHAD é aplicado a todas as formas de ESFORÇO e desenvolveu alguns significados especiais ao longo do tempo. As fontes desse desenvolvimento são o Alcorão (a Palavra de Deus revelada ao Profeta Muhammad (a paz esteja com ele). O Alcorão e os Hadith usam a palavra “Jihad” em vários contextos diferentes que são dados abaixo:

Reconhecer o Criador e Amá-lo Mais

É a natureza humana amar o que é visto com os olhos e o que é sentido com os órgãos dos sentidos, mais do que a REALIDADE OCULTA. O Criador do Universo e o Deus Único é Allah. Ele é a Realidade Oculta que tendemos a ignorar e não reconhecer. O Alcorão aborda aqueles que afirmam ser crentes:

“Ó vós que credes! Não tomeis por aliados a vossos pais e a vossos irmãos, se amam a renegação da Fé mais que a Fé. E quem de vós se alia a eles, esses serão os injustos. Dize: “Se vossos pais e vossos filhos e vossos irmãos e vossas mulheres e vossos clãs, e riquezas, que ganhastes, e comércio, de que receais a estagnação, e vivendas, de que vos agradais, são-vos mais amados que Allah e Seu Mensageiro e o ESFORÇO em Seu caminho, então, aguardai até que Allah faça chegar Sua ordem. E Allah não guia o povo perverso.” [Sagrado Alcorão 9:23-24]

É realmente um esforço colocar Deus à frente de nossos entes queridos, nossa riqueza, nossas ambições mundanas e nossas próprias vidas. Especialmente para um não-muçulmano que abraça o Islã, pode ser um esforço difícil devido à oposição de sua família, seus próximos e a sociedade.

Resistir a Pressão dos Pais, Próximos e Sociedade

Uma vez que uma pessoa tenha decidido colocar o Criador do Universo acima de tudo, ela geralmente enfrenta fortes pressões. Não é fácil resistir a tais pressões e ESFORÇAR-SE para manter a dedicação e o amor de Allah sobre todo o resto. Uma pessoa que se voltou para o Islã de outra religião pode ser submetida a pressões destinadas a levá-lo de volta à religião da família. Nós lemos no Alcorão:

“Então, não obedeças aos renegadores da Fé, Muhammad, e, com ele, luta contra eles, vigorosamente.” [Sagrado Alcorão 25:52]

Permanecer Firme na  Senda Reta

Allah diz no Alcorão:

“E ESFORCEM-SE (JAHIDU) por Allah, como se deve ESFORÇAR (JIHADIHI) por Ele. Ele vos elegeu. E não vos fez constrangimento algum, na religião…” [Sagrado Alcorão 22:78]

“E quem SE ESFORÇA (JAHADA), pela causa de Allah, apenas ESFORÇA-SE (YUJAHIDU) em benefício de si mesmo. Por certo, Allah é Bastante a Si mesmo, Prescindindo dos mundos.” [Sagrado Alcorão 29:6]

Quanto àqueles que se esforçam e lutam para viver como verdadeiros muçulmanos cujas vidas são dificultadas devido à perseguição de seus oponentes, é aconselhável migrar para uma terra mais pacífica e tolerante e continuar com seu esforço na causa de Deus.

Allah diz no Alcorão:

“Por certo, àqueles que foram injustos consigo mesmos, os anjos lhes levarão as almas, dizendo: “Em que situação estáveis?” dirão: “Estávamos indefesos na terra.” Os anjos dirão: “A terra de Allah não era bastante ampla, para, nela, emigrardes?…” [Sagrado Alcorão 4:97]

“Por certo, os que creram e os que emigraram e ESFORÇARAM-SE (JAHADU) no caminho de Allah, esses esperam pela misericórdia de Allah…” [Sagrado Alcorão 2:218]

Allah testa os crentes em sua fé e sua firmeza:

“Ou supondes que entrareis no Paraíso, enquanto, ainda, não fizestes saber a Allah quais, dentre vós, ESFORÇAR-VOS-EIS (JAHADU), e não O fizestes saber quais os perseverantes?” [Sagrado Alcorão 3:142]

“E, em verdade, pomo-vos à prova, com algo do medo e da fome e da escassez de riquezas e de pessoas e de frutos. E alvissara o Paraíso aos perseverantes.” [Sagrado Alcorão 2:155]

Nós achamos que o Profeta Muhammad ﷺ e seu clã foram boicotados social e economicamente por três anos para forçá-lo a parar sua mensagem e comprometer-se com os pagãos, mas resistiu e teve uma vitória moral.

Esforço Por Ações Virtuosas

Allah declara no Alcorão:

“E aos que ESFORÇAM-SE (JAHADU) por Nós (i.é, pela causa de Deus), certamente, guiá-los-emos a Nossos caminhos. E, por certo, Allah é com os benfeitores.” [Nobre Alcorão 29:69]

Quando nos deparamos com dois interesses concorrentes, torna-se Jihad escolher o caminho certo, como o seguinte Hadith exemplifica:

“Ayshah, esposa do Profeta ﷺ perguntou:” Ó Mensageiro de Deus, vemos a Jihad como a melhor das ações, então não devemos nos juntar a ela? ” Ele respondeu: “Mas o melhor da Jihad é um Hajj perfeito (peregrinação a Makkah)”. [Sahih Al-Bukhari]

Em outra ocasião, um homem perguntou ao Profeta Muhammad ﷺ:

“Eu deveria me juntar à Jihad?” Ele perguntou: “Você tem pais?” O homem disse: “Sim!” O Profeta (a paz esteja com ele) disse: “Então esforce-se servindo-os!” [Sahih Al-Bukhari]

Mais um homem perguntou ao Mensageiro de Allah ﷺ:

“Que tipo de Jihad é melhor?” Ele respondeu: “Uma palavra de verdade na frente de um governante opressivo!” [Sunan Al-Nasa’i]

O Mensageiro de Allah (a paz esteja com ele) disse: “… o MUJAHID (aquele que realiza a Jihad) é aquele que ESFORÇA-SE contra si mesmo por causa de Deus, e o MUHAJIR (aquele que emigra) é aquele que abandona as más ações e o pecado”. [Sahih Ibn Hibban]

 Ter Coragem e  Firmeza Para Transmitir a Mensagem do Islã:

O Alcorão narra as experiências de um grande número de profetas e pessoas boas que sofreram muito tentando transmitir a mensagem de Deus para a humanidade. Por exemplo, veja o Alcorão [26:1-190, 36:13-32]. No Alcorão, Deus louvA especificamente aqueles que se esforçam para transmitir a Sua mensagem:

“E quem melhor, em dito, que aquele que convoca os homens a Allah e faz o bem e diz: “Por certo, sou dos muçulmanos?”. [Sagrado Alcorão 41:33]

Em condições adversas, é preciso muita coragem para permanecer muçulmano, declarar-se muçulmano e chamar outros para o Islã. Nós lemos no Alcorão:

“Os autênticos crentes são, apenas, os que crêem em Allah e em seu Mensageiro; em seguida, de nada duvidam, e ESFORÇAM-SE com suas riquezas e com si mesmos, no caminho de Allah. Esses são os verídicos.” [Sagrado Alcorão 49:15]

Defender o Islã e a Comunidade

Allah declara no Alcorão:

“É permitido o combate aos que são combatidos, porque sofreram injustiça. – E, por certo, Allah, sobre seu socorro, é Onipotente. Esses são os que, sem razão, foram expulsos de seus lares, apenas porque disseram: ‘Nosso Senhor é Allah.’…” [Sagrado Alcorão 22:39-40]

O Alcorão permite lutar para defender a religião do Islã e os muçulmanos. Esta permissão inclui lutas em defesa própria e para proteção de família e propriedade. Os primeiros muçulmanos lutaram muitas batalhas contra seus inimigos sob a liderança do Profeta Muhammad ﷺ ou seus representantes. Por exemplo, quando os pagãos de Quraysh trouxeram exércitos contra o Profeta Muhammad ﷺ, os muçulmanos lutaram para defender sua fé e comunidade. O Alcorão acrescenta:

“E combatei, no caminho de Allah, os que vos combatem, e não cometais agressão. Por certo, Allah não ama os agressores.” [Sagrado Alcorão 2:190]

“E combatei-os, até que não mais haja sedição pela idolatria e que a religião seja de Allah. Então, se se abstiverem, nada de agressão, exceto contra os injustos.” [Sagrado Alcorão 2:193]

Ajudar Aliados que Podem Não Ser Muçulmanos

No período final da vida do Profeta Muhammad ﷺ, a tribo de Banu Khuza’ah tornou-se aliada. Eles estavam vivendo perto de Makkah, que estava sob o domínio da tribo pagã Quraysh, à qual pertencia o Profeta Muhammad ﷺ. A tribo de Banu Bakr, um aliado de Quraysh, com a ajuda de alguns elementos de Quraysh, atacou Banu Khuza’ah que, por sua vez, invocou o tratado e exigiu que o Profeta Muhammad ﷺ fosse em sua ajuda e punisse Quraysh. O Profeta Muhammad ﷺ organizou uma campanha contra Quraysh de Meca, que resultou na conquista de Meca, o que ocorreu sem qualquer batalha.

Banir Aqueles que Agem de Forma Traiçoeira

Deus ordena aos muçulmanos no Alcorão:

“E, se temes traição de um povo, deita fora teu pacto com eles, do mesmo modo que eles o fazem. Por certo, Allah não ama os traidores.” [Sagrado Alcorão 8:58]

O Profeta Muhammad ﷺ empreendeu uma série de campanhas armadas para remover pessoas traiçoeiras do poder e seus alojamentos. Ele havia entrado em pactos com várias tribos judaicas, no entanto, alguns deles se mostraram traiçoeiros. O Profeta Muhammad ﷺ lançou campanhas armadas contra essas tribos, derrotou e exilou-as da Medina e seus arredores.

Defendendo Através Ataques Preventivos

Na verdade, é difícil mobilizar pessoas para lutar quando não vêem invasores em seu território; no entanto, aqueles que são encarregados de responsabilidade vêem perigos antes do tempo e devem fornecer liderança. O Mensageiro de Allah, Muhammad ﷺ, teve a responsabilidade de proteger seu povo e a religião que estabeleceu na Arábia. Sempre que recebeu relatórios de inteligência sobre inimigos reunidos perto de suas fronteiras, ele realizou ataques preventivos, quebrou seu poder e os dispersou [6]. Allah ordenou os muçulmanos no Alcorão:

“É-vos prescrito o combate, e ele vos é odioso. E, quiçá, odieis algo que vos seja melhor. E, quiçá, ameis algo que vos seja pior. E Allah sabe, e vós não sabeis.” [Sagrado Alcorão 2:216]

Ganhar Liberdade para Informar, Educar e Transmitir a Mensagem do Islã em um Ambiente Aberto e Livre

Allah declara no Alcorão:

“Perguntam-te pelo combate, no mês sagrado. Dize: “Combater nele é grande pecado. E pecado maior, perante Allah, é afastar os homens do caminho de Allah e renegá-IO, e afastá-los da Mesquita Sagrada, e fazer sair dela seus habitantes. ” E a sedição pela idolatria é pecado maior que o morticínio. E eles não cessarão de combater-vos, até que vos façam apostatar de vossa religião, se eles o puderem…” [Sagrado Alcorão 2:217]

“E para os que se defendem, quando a opressão os alcança.” [Sagrado Alcorão 42:39]

Para ganhar essa liberdade, o Profeta Muhammad ﷺ disse:

“ESFORCEM-SE (JAHIDU) contra os incrédulos com suas mãos e línguas”. [Sahih Ibn Hibban]

A vida do Profeta Muhammad ﷺ era cheia de esperança em obter a liberdade de informar e transmitir a mensagem do Islã. Durante sua permanência em Makkah, ele usou métodos não-violentos e, após o estabelecimento de seu governo em Madinah, com a permissão de Allah, ele usou a luta armada contra seus inimigos sempre que ele achou inevitável.

Livrando Pessoas da Tirania

Allah adverte os muçulmanos no Alcorão:

“E por que razão não combateis no caminho de Allah e pela salvação dos indefesos, dentre os homens e as mulheres e as crianças, os quais dizem: ‘Senhor nosso! Faze-nos sair desta cidade, cujos habitantes são injustos; e faze-nos, de Tua parte, um protetor e faze-nos, de Tua parte, um socorredor’?” [Sagrado Alcorão 4:75]

A missão do Profeta Muhammad ﷺ era libertar as pessoas da tirania e da exploração por sistemas opressivos. Uma vez livre, os indivíduos na sociedade foram então livres para escolher o Islã ou não. Os sucessores do Profeta Muhammad ﷺ continuaram em seus passos e foram ajudar pessoas oprimidas. Por exemplo, após o chamado repetido do povo oprimido da Espanha para ajudar os muçulmanos, a Espanha foi libertada pelas forças muçulmanas e os governantes tiranos foram removidos. Após a conquista da Síria e do Iraque pelos muçulmanos, a população cristã de Hims teria dito aos muçulmanos:

“Nós gostamos de sua regra e justiça muito melhor do que o estado de opressão e tirania sob o qual vivemos” 

Os governantes derrotados da Síria eram cristãos romanos, e o Iraque era governado por persas zoroastras.

O que os Muçulmanos Devem Fazer Quando São Vitoriosos?

Os muçulmanos devem remover a tirania, a traição, o fanatismo e a ignorância e substituí-los por justiça e equidade. Devemos fornecer conhecimento verídico e libertar as pessoas da escravidão do “associativismo” (SHIRK, ou deuses múltiplos), preconceitos, superstições e mitologia. Os muçulmanos eliminam a imoralidade, o medo, o crime, a exploração e os substituem por moralidade divina, paz e educação.

O Alcorão declara:

“Por certo, Allah vos ordena que restituais os depósitos a seus donos. E, quando julgardes entre os homens, que julgueis com justiça. Por certo, quão excelente é isso, a que Allah vos exorta! Por certo, Allah é Oniouvinte, Onividente.” [Sagrado Alcorão 4:58]

“Ó vós que credes! Sede constantes em servir a Allah, sendo testemunhas com equanimidade. E que o ódio para com um povo não vos induza a não serdes justos. Sede justos: isso está mais próximo da piedade. E temei a Allah. Por certo, Allah do que fazeis, é Conhecedor.” [Sagrado Alcorão 5:8]

“E há, dentre os que criamos, uma comunidade, que guia os outros, com a verdade, e, com ela, faz justiça.” [Sagrado Alcorão 7:181]

“Por certo, Allah ordena a justiça e a benevolência e a liberalidade para com os parentes, e coíbe a obscenidade e o reprovável e a transgressão. Ele vos exorta, para meditardes.” [Sagrado Alcorão 16:90]

“Esses são os que, se os empossamos na terra, cumprem a oração (SALAH) e concedem az-zakāh, e ordenam o conveniente e coíbem o conveniente e coíbem o reprovável. E de Allah é o fim de todas as determinações.” [Sagrado Alcorão 22:41]

O Islã Difundiu-se Pela Força das Espadas ou Armas?

A resposta inequívoca e enfática é NÃO! O Alcorão declara:

“Não há compulsão na religião! Com efeito, distingue-se a retidão da depravação.” [Sagrado Alcorão 2:256]

Aqui está um bom estudo da questão da disseminação do Islã por um missionário cristão, T. W. Arnold:

“… de qualquer tentativa organizada de forçar a aceitação do Islã na população não-muçulmana ou de qualquer perseguição sistemática destinada a erradicar a religião cristã, não ouvimos nada. Se os califas escolhessem adotar qualquer uma das ações, eles poderiam ter varrido o cristianismo tão facilmente como Ferdinand e Isabella expulsaram o Islã da Espanha, ou Louis XIV tornou o protestantismo penal na França, ou os judeus foram mantidos fora da Inglaterra por 350 anos. As igrejas orientais na Ásia foram inteiramente excluídas da comunhão com o resto do Cristianismo em que ninguém teria sido encontrado para levantar um dedo em seu nome, como comunhão herética. De modo que a própria sobrevivência dessas Igrejas até o presente dia é uma forte prova da atitude geralmente tolerante do governo de Mohammed para com eles” 

O Islã não ensina, nem os muçulmanos desejam, a conversão de qualquer pessoa por medo, ganância, casamento ou qualquer outra forma de coerção.

Em conclusão, a Jihad no Islã é ESFORÇO NA CAUSA DE ALLAH pela caneta, língua, mão, mídia e, se for inevitável, com armas. No entanto, a Jihad no Islã não inclui a luta pelo poder individual ou nacional, domínio, glória, riqueza, prestígio ou orgulho.

Jihad explicado
pelo Dr. Amir Ali, Ph.D. (Que Deus tenha misericórdia dele)

  • Vida Apos a Morte

    Vida Após a Morte

    Os muçulmanos acreditam em uma vida após a morte e com a morte de um indivíduo, a porta pa…
  • Bíblia comparada ao Alcorão

    Bíblia Comparada Ao Alcorão

    Deve ser declarado no início deste trabalho, que os muçulmanos não procuram rebaixar ou pr…
  • O Status do Idoso no Islam

    O Status do Idoso no Islam

    O Islam é a religião da compaixão e da justiça, uma religião que ensina a moral perfeita e…
Load More Related Articles
Comments are closed.

Check Also

Por que Allah (Deus) Enviou Profetas?

As Pessoas Precisam De Profetas? Por que Deus Enviou Profetas? Um livro significativo requ…