Home Básicos Profeta Muhammad Profeta Muhammad ﷺ de A à Z

Profeta Muhammad ﷺ de A à Z

0
Muhammad de A a Z O profeta do Islam

Quase todos na terra hoje estão discutindo sobre o Profeta Muhammad (Que a paz e bênçãos estejam com ele). As pessoas querem saber, “Quem era ele exatamente?” “O que ele ensinou?” “Por que ele era muito amado por alguém e odiado tanto por outros?” “Ele concordou com suas reivindicações?” “Ele era um homem santo?” “Ele era um profeta de Deus?” “Qual é a verdade sobre este homem – Muhammad ﷺ?” Como podemos descobrir a verdade e ser totalmente honestos em nosso julgamento?

Começaremos com as evidências históricas muito simples, fatos narrados por milhares de pessoas, muitos dos quais o conheceram pessoalmente. O seguinte é baseado em livros, manuscritos, textos e relatos de testemunhas reais, lista muito numerosa aqui, mas todos foram preservados em forma original ao longo dos séculos por muçulmanos e não muçulmanos.

A. Seu Nome

Muhammad ibn (filho de) Abdullah ibn (filho de) Abdul Mutalib, nasceu no ano 570 E.C (Era Cristã) em Mecca, Felix Arabia (hoje: Arábia Saudita) e morreu em 633 E.C em Yathrib (hoje: Medina, Arábia Saudita).

Quando ele nasceu, seu avô, Abdul Mutalib, deu-lhe o nome de Muhammad ﷺ. E significa “louvado” ou “o agradecido”. Mais tarde, ele foi chamado de “As-Saddiq” (o Verdadeiro) por todos aqueles que conheciam sua natureza verdadeira e sincera. Ele sempre disse apenas a verdade. Ele também foi chamado de “Al-Amin” (o Confiável) devido à sua integridade e sempre apoiando qualquer confiança que lhe foi dada. Quando as tribos estavam lutando um contra o outro, ambos os lados o confiaram suas posses durante a luta, mesmo que pudesse ser contra alguns de seus próprios membros da tribo, porque sabiam que ele sempre defenderia qualquer confiança que lhe fosse dada. Todos os seus nomes indicavam a própria natureza de um homem que foi louvado pela sua honestidade, integridade e confiabilidade. Ele também era conhecido por defender a reconciliação do parentesco e dos relacionamentos. Ele ordenou que seus seguidores sempre respeitassem os “laços do útero” (irmãos e outros parentes próximos).

Isso se encaixa perfeitamente com a profecia mencionada na Bíblia no Livro de João nos capítulos 14 e 16, como a chegada de um profeta conhecido como “Espírito da Verdade” ou “Consolador” ou “Advogado”.

B. Nascido Como Descendente de Abraão

Nascido como descendente de Abraão por meio de seu filho primogênito, Ismael (Ismail em árabe), para a nobre tribo dos Coraixitas que eram os líderes de Mecca naqueles dias. A linhagem de sangue de Muhammad ﷺ traça uma descendência direta com Abraão.

Isso certamente poderia apontar para o cumprimento das profecias do Antigo Testamento (Torah) no Deuteronômio (capítulo 18:15) de um profeta, como Moisés de “seus irmãos”.

C. Cumpriu as Ordens de Allah

Ele manteve os Mandamentos de Allah Todo-Poderoso, assim como seus bisavós e profetas antigos tinham feito no passado. Aqui está uma declaração de Muhammad ﷺ, enquanto o Sagrado Alcorão lhe foi revelado pelo anjo Gabriel;

“Dize: “Vinde, eu recitarei o que vosso Senhor vos proibiu: nada Lhe associeis. E tende benevolência para com os pais. E não mateis vossos filhos, com receio da indigência: Nós (Allah) vos damos sustento, e a eles. E não vos aproximeis das obscenidades (pecados vergonhosos, relações sexuais ilegais, etc.), aparentes e latentes. E não mateis a alma, que Allah proibiu matar, exceto se com justa razão. Eis o que Ele vos recomenda, para razoardes..” [Sagrado Alcorão 6:151]

D. Ele viveu em Compromisso Total com a Crença

Muhammad ﷺ, viveu em total compromisso com a Crença em um Deus único, e, como tal, ele adorava a Deus sozinho, sem outros “deuses” ao lado d’Ele. Este é o primeiro mandamento no Antigo Testamento (Êxodo capítulo 20 e Deuteronômio, capítulo 5) e no Novo Testamento também (Marcos, capítulo 12, verso 29).

E. Ele ordenou seus seguidores obedecer a Allah

Muhammad ﷺ, ordenou seus seguidores a obedecer Deus Todo-Poderoso. Ele ordenou seguir os Mandamentos como lhe foi revelado pelo anjo Gabriel por Deus Todo-Poderoso. Leia abaixo, uma das muitas afirmações semelhantes do Sagrado Alcorão:

“Por certo, Allah ordena a justiça e a benevolência e a liberalidade para com os parentes, e coíbe a obscenidade e o reprovável e a transgressão (tais como: atos sexuais ilegais, desobediência de PADRES, politeísmo, mentira, testemunho falso, matar uma vida sem direito, etc.), e (Ele proíbe) qualquer maldade (ou seja, tudo o que é proibido por lei de Deus, como: o politeísmo de todos os tipos, descrença e todo tipo de ações malignas, etc.). Ele vos exorta, para meditardes (ele os adverte, para que possam tomar atenção).” [Sagrado Alcorão 16:90]

F. Muhammad ﷺ, nunca caiu na prática comum de sua tribos para adorar estátuas, ídolos ou “deuses” feitos pelo homem.

Ele proibiu seus seguidores de se envolver em outro tipo de adoração que não fosse o do Deus Verdadeiro (Allah) de Adão, Abraão, Moisés e todos os profetas. E o povo da Escritura, entre os judeus e os cristãos, não diferia entre eles até depois de haverem evidências claras.

“E aqueles, aos quais fora concedido o Livro, não se separaram senão após haver-lhes chegado a evidente prova. E não lhes fora ordenado senão adorar a Allah (sem deuses ao lado de Deus), sendo sinceros com Ele na devoção, sendo monoteístas, e cumprir a oração e conceder az-zakāh, (a ajuda caridosa). E essa é a religião reta.” [Sagrado Alcorão 98:4-5]

Ele desprezou o culto falso a qualquer deus ou imagens criadas pelo homem ou qualquer coisa na criação como um deus. Ele odiava todas as complexidades e degradação que a conduz.

Isto é em obediência direta ao segundo mandamento nos versículos acima mencionados: “Não farás nenhuma imagem esculpida para ti”.

G. Muhammad ﷺ, sempre sustentaram o Nome de Deus (Allah) no mais alto lugar de reverência e nunca tomaram o Nome de Deus em vão ou para qualquer propósito pretensioso.

Ele proibiu seus seguidores de fazer algo assim e encorajou-os a usar nomes como “Servo de Deus Todo-Poderoso” (Abdullah).

H. Muhammad ﷺ, sustentou o devido culto e cerimônias de seus avós, Abraão e Ismael. Aqui um trecho do segundo capítulo do Sagrado Alcorão. Leia atentamente;

“E lembrai-vos de quando Abraão foi posto à prova por seu Senhor (Allah), com certas palavras, e ele as cumpriu. O Senhor (Allah)disse: “Por certo, farei de ti dirigente (profeta) para os homens.” Abraão disse: “E de minha descendência?” Allah disse: “Meu pacto (profecia) não alcançará os injustos (thalimun).”

“E lembrai-vos de quando (Allah) fizemos da Casa (ka’bah em Bakkah, que mais tarde se chamou de” Makkah “), lugar de visita e segurança para os homens, e dissemos: “Tomai o Maqam de Abraão por lugar de oração.” E (Allah) recomendamos a Abraão e a Ismael: “Purificai Minha Casa (Casa de Deus em Makkah) para os que a circundam e para os que estão em retiro e para os que se curvam e se prosternam (lá, em adoração).”

“E lembrai-vos de quando Abraão disse: “Senhor meu, faze desta uma cidade (Makkah) de segurança e dá dos frutos, por sustento, a seus habitantes, àqueles, dentre eles, que crêem em Allah e no Derradeiro Dia.” Allah disse: “E a quem renega a Fé, fá-lo-ei gozar, por algum tempo; em seguida, forçá-lo-ei ao castigo do Fogo. E que execrável destino!”

“E lembrai-vos de quando Abraão levantava os alicerces da Casa (Ka’bah em Makkah), e Ismael também, dizendo: “Senhor nosso! Aceita-a de nós. Por certo, Tu, Tu és O Oniouvinte, O Onisciente.”

“Senhor nosso! E faze de ambos de nós moslimes para Ti, e faze de nossa descendência uma comunidade moslima para Ti; e ensina-nos nossos cultos (todas as cerimônias de peregrinação – Hajj e ‘Umrah, etc.) e volta-Te para nós, remindo-nos. Por certo, Tu, Tu es O Remissório, O Misericordiador.”

“Senhor nosso! E manda-lhes um Mensageiro, vindo deles (e, de fato, Allah respondeu enviando Muhammad paz e bênçãos sejam sobre ele), o qual recitará, para eles, Teus versículos e lhes ensinará o Livro (Alcorão) e a Sabedoria (de Deus- Leis e jurisprudência) e os dignificará. Por certo, Tu, Tu és O Todo-Poderoso, O Sábio!”

“E quem, pois, rejeita a crença de Abraão ( Monoteísmo) senão aquele cuja alma se perde na inépcia? E, com efeito, escolhemo-lo (Deus), na vida terrena, e, por certo, na Derradeira Vida, será dos íntegros.”

“Quando seu Senhor (Allah) lhe disse: “Islamiza-te (” Islamismo “significa” submissão “).” Disse: “Islamizo-me (” muçulmano “significa” alguém que envia “), para O Senhor dos mundos.”

“E Abraão (submissão a Deus) recomendou-a a seus filhos – e, assim também, Jacó – dizendo: “O filhos meus! Por certo, Allah escolheu para vós a (verdadeira) religião; então, não morrais senão enquanto moslimes (como aqueles que se submeterem verdadeiramente à vontade de Deus).” [Sagrado Alcorão 2:124-132]

I. Muhammad ﷺ, realizou essas mesmas cerimônias de adoração que os outros profetas faziam antes dele, inclinando-se para o chão e prostrando-se (colocando o rosto no chão) ao rezar e adorar.

Ele se direcionava para Jerusalém a fim de realizar seus devocionais e mandava seus seguidores fazer o mesmo (até que Allah enviou o anjo Gabriel com a revelação para mudar a direção (Qibla) mencionada no Sagrado Alcorão).

J. Muhammad ﷺ, defendeu os direitos de todos os membros da família e, em especial, os laços com os pais, mãe e pai, também direitos para as meninas seja crianças, órfãs e certamente para esposas também.

Sabe-se do Sagrado Alcorão, que Muhammad ﷺ, ordenou que seus seguidores fossem gentis e respeitosos com seus pais. Foi-lhes dito para não dizer, “Ooh” a eles enquanto cuidavam deles em sua velhice. Leia no Sagrado Alcorão diz:

“E teu Senhor decretou que não adoreis senão a Ele; e decretou benevolência para com os pais. Se um deles ou ambos atingem a velhice, junto de ti, não lhes digas: “Ufa!”, nem os maltrates, e dize-lhes dito nobre.” [Sagrado Alcorão 17:23]

K. Muhammad ﷺ, foi o defensor dos órfãos e até mesmo dos recém nascidos.

Ele ordenou o cuidado dos órfãos e a alimentação dos pobres como meio para entrar no Paraíso e se alguém retivesse os direitos daqueles que estavam destituídos, eles poderiam esquecer de ver o Paraíso. Ele também proibiu o assassinato de meninas nascidas, como era costume de ignorância de acordo com as tradições árabes primitivas. Isso é referido no Sagrado Alcorão; No dia do julgamento, aqueles que praticam a maldade de encerrar a vida de suas próprias filhas crianças, serão expostos, o Sagrado Alcorão diz:

E quando a filha,(infantil) enterrada viva, (como os árabes pagãos costumavam fazer) for interrogada, (uma criança) por que delito fora morta.” [Sagrado Alcorão 81:8]

“Os que despendem suas riquezas (na Causa de Deus), quer de noite quer de dia, secreta e manifestamente, terão seu prêmio junto de seu Senhor, e nada haverá que temer por eles, e eles não se entristecerão.” [Sagrado Alcorão 2:274]

L. Muhammad ﷺ, ordenou aos homens que não “obtivessem as mulheres contra a sua vontade”, e não se casar com elas exceto por consentimento mútuo e nunca para tocar suas riquezas ou herança para melhorar suas próprias condições financeiras.

“Ó vós que credes! Não vos é lícito herdar às mulheres, contra a vontade delas. E não as impeçais de se casarem de novo, a fim de que vos vades com algo que já lhes havíeis concedido, exceto se elas cometem evidente obscenidade. E convivei com elas, convenientemente. E, se as odiais, pacientai: quiçá, odieis algo, em que Allah faz existir um bem abundante.” [Sagrado Alcorão 4:19]

Nós também notamos a partir deste versículo, Ele proíbe a prática comum de espancar e abusar da esposa (sua própria esposa disse que nunca antes a atingiu).

Ele nunca se envolvia em sexo fora do casamento, nem ele nunca aprovou, mesmo que fosse muito comum na época. Seu único relacionamento com mulheres era em casamentos legítimos e contratuais com testemunhas apropriadas de acordo com a lei. Sua relação com Ayesha era apenas a do casamento. Ele não se casou com ela na primeira vez que seu pai lhe ofereceu a mão no casamento. Ele se casou com ela apenas depois que ela atingiu a idade da puberdade e podia decidir por si mesma. Seu relacionamento é descrito em todos os detalhes pela própria Ayesha, da maneira mais amorosa e respeitosa, como uma união verdadeiramente criada no céu. Ayesha é considerada como um dos maiores estudiosos do islamismo e viveu toda a sua vida apenas casada com Muhammad ﷺ. Ela nunca desejou nenhum outro homem, nem ela nunca pronunciou uma única declaração negativa contra Muhammad ﷺ.

M. Muhammad ﷺ, ordenou aos homens que “forneça e proteja” as mulheres, seja sua própria mãe, irmã, esposa ou filha ou mesmo as de outros, sejam eles muçulmanos ou não.

“Os homens são os protetores e os mantenedores das mulheres, porque Deus fez um deles para superar o outro, e porque eles gastam (para sustentar as mulheres) dos seus meios. Portanto, as mulheres justas são devotadamente obedientes (a Deus e aos seus maridos ), e guarda na ausência do marido o que Deus ordena que protejam (por exemplo, sua castidade, a propriedade de seu marido, etc.).

“Os homens têm autoridade sobre as mulheres, pelo que Allah preferiu alguns a outros, e pelo que despendem de suas riquezas (para sustentar as mulheres). Então, às íntegras são devotas, custódias da honra (a Deus e aos seus maridos ), na ausência dos maridos, pelo que Allah as custodiou (por exemplo, sua castidade, a propriedade de seu marido, etc.).”
.

E àquelas de quem temeis a desobediência, exortai-as, pois, e abandonai-as no leito, e batei-lhes (indicar um exemplo claro ou uma parábola para eles, deixar claro o que está acontecendo antes de divorciá-los). Então, se eles vos obedecem (a Deus e seus maridos), não busqueis meio de importuná-las . Por certo, Allah é Altíssimo, Grande.” [Sagrado Alcorão 4:34]

N. Muhammad ﷺ, proibiu a matança de crianças por medo da pobreza e também proibiu matar pessoas inocentes.

Dize (Ó Muhammad paz e bênçãos sejam sobre ele): “Vinde, eu recitarei o que vosso Senhor vos proibiu: nada Lhe associeis. E tende benevolência para com os pais. E não mateis vossos filhos, com receio da indigência: Nós vos damos sustento, e a eles. E não vos aproximeis das obscenidades (pecados vergonhosos, relações sexuais ilegais, etc.), aparentes e latentes. E não mateis a alma, que Allah proibiu matar, exceto se com justa razão (de acordo com Lei). Eis o que Ele vos recomenda, para razoardes. [Sagrado Alcorão 6:151]

O. Muhammad ﷺ, nunca cometeu adultério, e ele exigiu que seus seguidores se envolvessem apenas em relações legais do casamento com mulheres e proibiam o sexo fora das ordenanças de Deus Todo-Poderoso.

Satã (o demônio)promete-vos a pobreza e ordena-vos a obscenidade (maldades, relações sexuais ilegais, pecados, etc.), e Allah promete-vos perdão dEle e favor. E Allah é Munificente,Onisciente. [Sagrado Alcorão 2:268]

Dize (Ó Muhammad SAW): “Apenas, meu Senhor proibiu as obscenidades (grandes pecados do mal, todo tipo de relações sexuais ilegais, etc.), aparentes e latentes, e o pecado (de todos os tipos) e a agressão desarrazoada, e que associeis (em adoração) a Allah aquilo de que Ele não fez descer, sobre vós, comprovação alguma, e que digais acerca de Allah o que não sabeis.” [Sagrado Alcorão 7:33]

“E não vos aproximeis do adultério. Por certo, ele é obscenidade [isto é, qualquer coisa que transgride seus limites (um grande pecado)],; e que vil caminho! (que leva um ao inferno, a menos que Allah o perdoe)”[Sagrado Alcorão 17:32]

“O adúltero não esposará senão uma adúltera ou uma idiólatra [e isso significa que o homem que concorda em se casar (ter uma relação sexual) com um Mushrikah (feminista politeísta, pagão ou idolatra) ou uma prostituta, certamente é um adúltero, ou um Mushrik (politeísta, pagão ou idólatra, etc.) E a mulher que concorda em se casar (ter uma relação sexual com) um Mushrik (politeísta, pagão ou idólatra) ou um adúltero, então ela é uma prostituta ou uma Mushrikah (feminista politeísta, pagã ou idolatria, etc.)]. E a adúltera, não a esposará senão um adúltero ou um idiólatra. E isso, é proibido aos crentes (do monoteísmo islâmico.” [Sagrado Alcorão 24:3]

Por certo, os que amam que a obscenidade (do crime de relações sexuais ilegais)se dissemine, entre os que crêem, terão doloroso castigo na vida terrena e na Derradeira Vida. E Allah sabe, e vós não sabeis. [Sagrado Alcorão 24:19]

Ó Profeta! Quando as crentes te chegarem, para se comprometerem a nada associar a Allah e a não roubar e a não adulterar e a não matar a seus filhos e a não cometer infâmia (isto é, fazendo filhos ilegais pertencentes aos seus maridos), que forjam entre as próprias mãos e os pés, e a não te desobedecer no que for conveniente, aceita seu compromisso (monoteísmo islâmico e tudo o que o islamismo ordena) e implora a Allah perdão para elas. Por certo, Allah é Perdoador, Misericordiador. [Sagrado Alcorão 60:12]

O povo cometeu fornicação e adultério na maioria dos lugares ao redor no tempo de Muhammad ﷺ, mas ele nunca praticou tais atos, e ele proibiu todos os seus seguidores desta prática do mal.

P. Muhammad ﷺ, proibiu a usura (juro) e o interesse em empréstimos de dinheiro, assim como Jesus (Que a paz esteja sobre ele), tinha feito séculos antes dele.

Pode-se facilmente mostrar como a usura devora à riqueza e destrói os sistemas econômicos ao longo da história. No entanto, assim como nos ensinamentos dos profetas dos tempos antigos, Muhammad ﷺ, considerou que tais práticas são malignas e devem ser evitadas para estar em paz com o Criador (Allah).

Os que devoram a usura (ocupam o interesse) não se levantam (no Dia da Ressurreição) senão como se levanta aquele que Satã enfurece com a loucura. Isto, porque dizem: “A venda é como a usura”. Ao passo que Allah tornou lícita a venda e proibiu a usura. Então, aquele, a quem chega exortação de seu Senhor e se abstém da usura, a ele pertencerá o que se consumou, e sua questão será entregue (para julgar) a Allah. E quem reincide, esses são os companheiros do Fogo. Nele, serão eternos.

Allah extermina a usura e faz crescer as esmolas. E Allah não ama a nenhum ingrato pecador.

“Por certo, os que crêem, e fazem as boas obras, e cumprem a oração, e concedem az-zakah, terão seu prêmio junto de seu Senhor; e nada haverá que temer por eles, e eles não se entristecerão.”

“Ó vós que credes! Temei a Allah e deixai o que resta da usura, se sois crentes.”

“E, se o não fazerdes, certificai-vos de uma guerra de Allah e de Seu Mensageiro; e, se vos voltardes para Allah arrependidos, tereis vosso capital. Não estareis cometendo injustiça nem sofrendo injustiça.” [Sagrado Alcorão 2:275-279]

Q. Muhammad ﷺ, nunca jogou e não o permitiu que o fizessem. Como a usura, o jogo de azar tira dinheiro, mas a um ritmo ainda mais rápido.

“Perguntam-te (Muhammad) pelo vinho e pelo jogo de azar. Dize: “Há em ambos grande pecado e benefício para os homens, e seu pecado é maior que seu benefício.” E perguntam-te o que devem despender (por caridade, etc.). Dize: “O sobejo.” Assim, Allah torna evidentes, para vós, os sinais, para refletirdes.” [Sagrado Alcorão 2:219]

O jogo não tinha sido visto como tão malvado até o tempo de Muhammad ﷺ. Hoje, está bem estabelecido o dano causado pelo jogo às famílias e até à saúde mental. A idéia de obter algo por nada não é o caminho certo da vida prescrito pelos ensinamentos de Muhammad ﷺ.

R. Muhammad ﷺ, nunca bebeu álcool ou bebida forte, mesmo que fosse uma coisa muito normal para pessoas de seu tempo e lugar.

“Ó vós que credes! O vinho e o jogo de azar e as pedras levantadas com nome dos ídolos e as varinhas da sorte não são senão abominação: ações de Satã. Então, evitai-as na esperança de serdes bem-aventurados.”

“Satã deseja, apenas semear a inimizade e a aversão, entre vós, por meio do vinho e do jogo de azar, e afastar-vos da lembrança de Allah e da oração. Então, abster-vos-eis disso?” [Sagrado Alcorão 5:90-91]

Os árabes, como a maioria das outras culturas do seu tempo, bebiam álcool sem preocupação com a saúde ou com o comportamento alterado enquanto estavam intoxicados. Muitos deles eram alcoólatras.

No mundo de hoje, há pouca necessidade de apresentar longas discussões sobre o mal e os perigos do consumo de álcool. Além de causar doenças e arruinar a saúde de uma pessoa, o álcool é muitas vezes atribuído à causa de muitos acidentes de trânsito, resultando em danos materiais, feridos e óbitos. A primeira ordem era para que os seguidores de Muhammad ﷺ, deixassem de beber enquanto se dedicavam à adoração, então vieram ordens mais fortes para deixar de beber todos juntos. Assim, oferecendo um tempo para que os primeiros muçulmanos se separasse de seu vício em bebida forte.

S. Muhammad ﷺ, não costumava se envolver em fofocas ou maldições e ele sempre se afastou de ouvir qualquer coisa relacionada a isso.

“Ó vós que credes! Se vos chega um perverso com um informe, certificai-vos disso para não lesar por ignorância, certas pessoas: então, tornar-vos-íeis arrependidos do que havíeis feito.” [Sagrado Alcorão 49:6]

“Ó vós que credes! Que um grupo não escarneça de outro grupo – quiçá, este seja melhor que aquele – nem mulheres, de mulheres – quiçá, estas sejam melhores que aquelas – e não vos difameis, mutuamente, e não vos injurieis, com epítetos depreciativos. Que execrável a designação de “perversidade”, depois da Fé! E os que se não arrependem, esses são os injustos.”

“Ó vós que credes! Evitai muitas das conjeturas. Por certo, uma parte das conjecturas é pecado. E não vos espieis. E não faleis mal, uns dos outros, pelas costas. Algum de vós gostaria de comer a carne de seu irmão morto? Pois, odiá-la-íeis (então odeio a malhar)! E temei a Allah. Por certo. Allah é Remissório, Misericordiador. “ [Sagrado Alcorão 49:11-12]

T. Muhammad ﷺ, foi muito generoso e encorajou as pessoas a serem da mesma maneira em suas relações com os outros. Ele mesmo pediu que perdoassem as dívidas dos outros com esperança de receber uma recompensa melhor de seu Senhor (Allah).

“E, se um devedor (não tem dinheiro) estiver em dificuldade, concedei-lhe espera, até que tenha facilidade”. E fazerdes caridade vos é melhor. Se soubésseis!”

“E guardai-vos de um dia, em que sereis retornados a Allah. Em seguida, cada alma será compensada com o que logrou, e eles não sofrerão injustiça.” [Sagrado Alcorão 2:280-281]

S. Muhammad ﷺ, ordenou o pagamento de caridade aos pobres e ele era o defensor e protetor das viúvas, dos órfãos e dos viajantes.

“Então, quanto ao orfão, não o oprimas. E, quanto ao mendigo, não o maltrates.” [Sagrado Alcorão 93:9-10]

“Dai vossas esmolas aos pobres, que, impedidos pelo combate, no caminho (da viagem) de Allah, não podem percorrer a terra (para comércio ou trabalho), para ganhar seu sustento. O ignorante supõe-nos ricos, por suas maneiras recatadas. Tu os reconheces por seu semblante; não pedem esmolas aos outros, insistentemente. E o que quer que despendais de bom, por certo, Allah é, disso, Onisciente.” [Sagrado Alcorão 2:273]

U. Muhammad ﷺ, ensinou as pessoas a lidar com as dificuldades e provas mais extremas que nos ocorrem ao longo de nossas vidas.

Ele afirmou que só com paciência e uma atitude humilde encontramos uma verdadeira resolução e compreensão das complicações e desapontamentos da vida. Ele é o mais paciente de todos e foi exemplar em sua própria humildade. Todos os que o conheciam tinham que admitir essas virtudes.

Ó vós que credes! Implorai ajuda, com a paciência e a oração. Por certo, Allah é com os perseverantes. [Sagrado Alcorão 2:153]

Ele explicou que esta vida é uma prova de Allah:

“E, em verdade, pomo-vos à prova, com algo do medo e da fome e da escassez de riquezas e de pessoas e de frutos. E alvissara o Paraíso aos perseverantes.” [Sagrado Alcorão 2:155]

“Àqueles que, quando uma desgraça os alcança, dizem: “Por certo, somos de Allah e, por certo, a Ele retornaremos. ” [Sagrado Alcorão 2:156]

V. Muhammad ﷺ, jejuava por dias a fim de estar mais perto de Deus Todo-Poderoso e longe da estreiteza das atrações mundanas.

“Ó vós que credes! É-vos prescrito o jejum, como foi prescrito aos que foram antes de vós, para serdes piedosos” [Sagrado Alcorão 2:183]

W. Muhammad ﷺ, pediu o fim do racismo e tribalismo desde o início até o fim de sua missão. Ele era realmente o pacificador para todos os tempos e para todas as pessoas.

“Ó homens! Por certo, Nós (Allah) vos criamos de um varão e de uma varoa, e vos fizemos como nações e tribos, para que vos conheçais uns aos outros. Por certo, o mais honrado de vós, perante Allah é o mais piedoso. Por certo, Allah é Onisciente, Conhecedor.” [Sagrado Alcorão 49:13]

E em outro versículo do Sagrado Alcorão diz:

“Ó homens! Temei a vosso Senhor, Que vos criou de uma só pessoa (Adão) e desta (Adão) criou sua mulher (Eva), e de ambos espalhou pela terra numerosos homens e mulheres. E temei a Allah, em nome de Quem vos solicitais mutuamente (e não corte as relações), e respeitai os laços consangüíneos (parentesco). Por certo, Allah, de vós, é Observante” [Sagrado Alcorão 4:1]

X. No que diz respeito à manutenção de bons relacionamentos e ao retorno das pessoas após uma queda, o Sagrado Alcorão diz:

“E, se duas facções dos crentes pelejam, reconciliai-as. E, se uma delas comete transgressão contra a outra, combatei a que transgride, até que ela volte para a ordem de Allah. Então, se ela volta, reconciliai-as, com a justiça, e sede equânimes. Por certo, Allah ama os equânimes. Os crentes não são que irmãos. Então, reconciliai vossos dois irmãos que pelejarem. E temei a Allah, na esperança de obterdes misericórdia.” [Sagrado Alcorão 49:9-10]

Y. Muhammad ﷺ, ensinou que Jesus foi a concepção imaculada e o nascimento milagroso de Maria, e que ela foi a melhor criação de Deus Todo-Poderoso e a escolheu acima das mulheres do mundo.

Ele insistiu para os judeus de Medina, que Jesus, foi o Messias, o Cristo, aquele previsto para vir na Torah (Antigo Testamento). Ele também ensinou que Jesus, fez muitos milagres com a permissão de Deus Todo-Poderoso, curando os leprosos, restaurando a visão aos cegos e até trazendo um homem morto de volta à vida, ele não estava morto, o Todo-Poderoso Deus o levantou. Ele também previu que Jesus, voltará nos Últimos Dias para levar os verdadeiros crentes a uma vitória sobre as pessoas malignas e injustas, e ele irá destruir o Anticristo.

Z. Muhammad ﷺ, proibiu qualquer assassinato, mesmo quando seus seguidores foram mortos, até que as ordens de retaliação viesse de Deus (Allah).

Mesmo assim, os limites foram claramente enunciados e somente aqueles envolvidos no combate ativo contra os muçulmanos ou o islamismo deveriam ser combatidos em combate. E mesmo assim, apenas de acordo com regras muito estritas de Deus (Allah).

Load More Related Articles
Comments are closed.

Check Also

Como Se Tornar Muçulmano?

Se tornar muçulmano é um processo simples. Você só precisa dizer: “Eu testemunho que…