Home Questões Cristianismo Jesus Realmente Morreu Em Uma Cruz?

Jesus Realmente Morreu Em Uma Cruz?

1
Jesus morreu na cruz

Jesus Realmente Morreu Em Uma Cruz?


A pedra angular da crença cristã é que Jesus (Que a paz esteja com ele) veio a morrer como a morte substitutiva pelos pecados da humanidade.

Embora se possa argumentar o caso da morte de Jesus na cruz com base em relatos Evangélicos, do ponto de vista muçulmano, isso não é de tamanha dimensão. Isso ocorre por várias razões.

Primeiro, o Alcorão rejeita completamente essa noção de “morte na cruz”. É enfático neste assunto:

“E por seu dito: “Por certo, matamos o Messias, Jesus, Filho de Maria, Mensageiro de Allah.” Ora, eles não o mataram nem o crucificaram, mas isso lhes foi simulado. E, por certo, os que discrepam a seu respeito estão em dúvida acerca disso. Eles não têm ciência alguma disso, senão conjeturas, que seguem. E não o mataram, seguramente;” [Sagrado Alcorão 4:157]

Em segundo lugar, nos relatos Evangélicos, Jesus é mostrado em uma cruz. Seja ou não, o relato narrado nos Evangelhos, autêntico, há que defender que historicamente nos primeiros séculos do cristianismo, nem todos os grupos de cristãos acreditavam na crucificação de Jesus ou na sua morte substitutiva como meio de salvação. Ainda hoje, com base em relatos Evangélicos, muitas pessoas defendem que Jesus estava apenas pendurado na cruz, mas na verdade não morreu. Muitos muçulmanos juntaram-se a este movimento.

Nós não pensamos que esta seja a abordagem correta para os muçulmanos tomarem. Em vez disso, o caminho certo é dizer que, mesmo que os relatos do Evangelho digam que Jesus foi crucificado, não concordamos com isso porque, da perspectiva muçulmana, o Alcorão é a revelação final de Deus e ele nos diz outra coisa. Como Deus conhece toda a verdade, Ele ensinou a posição correta sobre este e outros assuntos para Muhammad (Que a paz e bênçãos estejam com ele) através da revelação. Observe que, na teologia islâmica, a Bíblia de hoje não é considerada 100% autêntica e, portanto, os relatos do Evangelho não são tomados pelo seu valor original.

Mas, finalmente, a verdadeira questão que deve ser feita é esta: se a missão principal de Jesus no mundo fosse morrer como um substituto de nossos pecados, então haveria muitos detalhes e ensinamentos de Jesus neste assunto. Mas não temos conhecimento de uma única declaração explícita da parte dele, que é clara e inequívoca ao afirmar que sua missão era morrer como morte substitutiva e expiação pelos pecados da humanidade e que DEVEMOS acreditar na sua morte e ressurreição para sermos salvos.

A declaração que é frequentemente citada de Jesus sobre este tópico é a seguinte:

“Assim como o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida como um resgate por muitos.” [Mateus 20:28]

Não vemos como este versículo ensina morte substitutiva e expiação. Na melhor das hipóteses, Jesus está dizendo que ele está disposto a dar sua vida por seus seguidores e por sua causa. A vontade de sacrificar a vida por uma causa mais elevada é algo não exclusivo de Jesus. Vemos que muitos profetas na Bíblia sofreram imensamente (como Abraão) e alguns até desistiram de sua vida (como João Batista) por sua missão.

O mesmo aplica-se ao Profeta Muhammad ﷺ. Na viagem a Taif, onde ele foi convidar pessoas para o Islã, o povo de Taif o tratou muito mal. O Profeta foi terrivelmente apedrejado, tanto que todo o seu corpo ficou ensanguentado e seus sapatos ficaram molhados com seu próprio sangue. Então, que Jesus diga que ele dará o sangue ou será um resgate para o seu povo, pode simplesmente significar que ele está disposto a sacrificar tudo para que as pessoas possam aprender a verdade dele e sejam salvas seguindo esses ensinamentos. Essa interpretação é consistente com os sacrifícios de todos os profetas anteriores.

Há alguns outros versículos nos Evangelhos que também são trazidos pelos cristãos como evidência de que Jesus ensinou a salvação através da crença em sua morte e ressurreição. Mas quando analisamos esses versículos, achamos que eles não ensinam esta doutrina de maneira explícita.

Nossa percepção é que as pessoas lêem esses versículos “morte e expiação substitutivas” porque já acreditam nessa doutrina. Mesmo as conexões mais fracas os fazem pensar que esses versículos realmente ensinam o que eles já acreditam. Talvez essa conclusão tenha algo a ver com o que é conhecido como poder de sugestão.

A Segunda Vinda de Jesus

O Islã ensina que Jesus não morreu na cruz, mas que ele foi levado ao céu vivo. Ele voltará e viverá a vida normal e depois morrerá. O propósito de sua segunda vinda é principalmente o estabelecimento da justiça na terra e o assassinato do anti cristo.

“Mas, Allah ascendeu-o até Ele. E Allah é Todo-Poderoso, Sábio.” [Sagrado Alcorão 4:158]

“E não há ninguém dos seguidores do Livro que, antes de morrer, deixe de nele crer. E, no Dia da Ressurreição, ele será testemunha contra eles.” [Sagrado Alcorão 4:159]

Lembra-lhes, Muhammad, de quando Allah disse: “Ó Jesus! Por certo, findarei teus dias na terra e ascender-te-ei até Mim e apartar-te-ei dos que renegam a Fé e farei estar os que te seguiram acima dos que renegam a Fé, até o Dia da Ressurreição. Em seguida, a Mim será vosso retorno. E julgarei, entre vós, naquilo de que discrepáveis.” [Sagrado Alcorão 3:55]

O Alcorão não é explícito sobre a segunda vinda de Jesus, mas há muitas palavras de Muhammad ﷺ sobre este assunto.

Narrou Abu Huraira: O Apóstolo de Allah disse:

“A Hora não será estabelecida até que o filho de Maria (isto é, Jesus) desça entre vocês como um governante justo, ele quebrará a cruz, matará os porcos e abolirá o imposto de Jizya. O dinheiro será em (tamanha) abundância que ninguém o aceitará (como caridade).” [Sahih Bukhari]

Narrou Abu Huraira: O Profeta ﷺ disse:

Não há profeta entre mim e ele, isto é, Jesus. Ele descerá (para a terra). Quando vocês virem-no, reconheçam-no: um homem de altura média, de uma face avermelhada, usando duas vestimentas amarelas claras, parecendo que caem gotas de sua cabeça, embora não estará molhada. Ele vai lutar contra as pessoas pela causa do Islã. Ele vai quebrar a cruz, matar suínos e abolir a Jizya. Deus perecerá todas as religiões, exceto o Islã. Ele destruirá o Anticristo e viverá na Terra por quarenta anos e depois morrerá. Os muçulmanos vão orar sobre ele. [Abu Dawud]

O Mensageiro de Allah ﷺ disse:

“Por Ele em Cujas Mãos está a minha alma, certamente (Jesus), o filho de Maria logo descerá entre vocês e julgará justamente a humanidade (como um Governante Justo); Ele vai quebrar a Cruz e matar os porcos e não haverá Jizya (ou seja, a tributação dos não muçulmanos). O dinheiro será em (tamanha) abundância que ninguém o aceitará, e uma única prostração para Allah (em oração) será melhor que o mundo inteiro e o que quer que esteja nele.” [Sahih Bukhari]

Deveria ficar claro, a partir da discussão acima, que os muçulmanos acreditam que Jesus voltará antes do dia do julgamento.

  • Vida Apos a Morte

    Vida Após a Morte

    Os muçulmanos acreditam em uma vida após a morte e com a morte de um indivíduo, a porta pa…
  • Bíblia comparada ao Alcorão

    Bíblia Comparada Ao Alcorão

    Deve ser declarado no início deste trabalho, que os muçulmanos não procuram rebaixar ou pr…
  • O Status do Idoso no Islam

    O Status do Idoso no Islam

    O Islam é a religião da compaixão e da justiça, uma religião que ensina a moral perfeita e…
Load More Related Articles
Comments are closed.

Check Also

Por que Allah (Deus) Enviou Profetas?

As Pessoas Precisam De Profetas? Por que Deus Enviou Profetas? Um livro significativo requ…