Home Blog Artigos Moralidade e Ética no Islã

Moralidade e Ética no Islã

1
A moralidade e ética no Islam

Auto desenvolvimento

A palavra “moralidade” vem da palavra latina moralistis que significa “maneira, caráter e comportamento apropriado”. A moral geralmente refere-se a um código de conduta, que um indivíduo, grupo ou sociedade possuem autoridade, ao distinguir o certo do errado. Esse código de conduta ideal é frequentemente adotado de preferência a outras alternativas.

Islam como uma forma abrangente da vida engloba um sistema moral completo que é um aspecto importante da sua visão de mundo. Vivemos em uma época em que o bem e o mal são muitas vezes vistos como conceitos relativos. Islam no entanto, sustenta que as posições morais não são relativas, e em vez disso, define um padrão universal pelo qual as ações podem ser consideradas moral ou imoral.

O sistema moral do Islam é impressionante na medida em que não só define a moral, mas também orienta a raça humana em como alcançá-la, tanto a nível individual como coletivo.

Princípios Básicos na Moral Islâmica

O sistema moral islâmica provém do seu credo primário da crença em um Deus como o Criador e Sustentador do Universo. O Islam considera a raça humana como parte da criação de Deus e como Seus súditos.

Do ponto de vista islâmico, o propósito da vida humana é adorar a Deus, levando a vida mundana em harmonia com a Vontade Divina, e assim alcançar a paz neste mundo e o êxito eterno na vida futura. Os muçulmanos olham para o Glorioso Alcorão e as Tradições do Profeta como seus guias morais.

O Glorioso Alcorão diz:

“A bondade não está em voltardes as faces para o Levante e para o Poente; mas a bondade é a de quem crê em Allah, e no Derradeiro Dia, e nos anjos, e no Livro, e nos profetas; e a de quem concede a riqueza, embora a ela apegado, aos parentes, e aos órfãos, e aos necessitados, e ao filho do caminho, e aos mendigos, e aos escravos; e a de quem cumpre a oração e concede az-zakah; e a dos que são fiéis a seu pacto, quando o pactuam; e dos que são perseverantes na adversidade e no infortúnio e em tempo de guerra. Esses são os que são verídicos e esses são os piedosos.” [Sagrado Alcorão 2:177]

Este versículo sublinha a convicção islâmica de que a justiça e a piedade se baseiam, antes de tudo, numa fé verdadeira e sincera. A chave da virtude e da boa conduta é uma relação forte com Deus, que vê tudo, em todos os momentos e em todos os lugares. Ele conhece os segredos dos corações e as intenções por trás de todas as ações. Portanto, o Islam exige o comportamento moral em todas as circunstâncias; Deus está ciente de cada um quando ninguém mais está. Pode ser possível enganar o mundo, mas não é possível enganar o Criador.

O amor e a contínua consciência de Deus e o Dia do Juízo permitem que o homem seja moral em conduta e sincero em intenções, com devoção e dedicação.

O Glorioso Alcorão também diz:

Dize: “Apenas meu Senhor proibiu as obscenidades, aparentes e latentes, e o pecado e a agressão desarrazoada, e que associeis a Allah aquilo de que Ele não fez descer, sobre vós, comprovação alguma, e que digais acerca de Allah o que não sabeis.” [Sagrado Alcorão 7:33]

É interessante que o Alcorão se refere a “pecados e transgressões contra a verdade ou razão”. É uma indicação da benção de Deus para todo ser humano, de um sentido moral inato. Tal sentido moral, quando não corrompido pela família ou sociedade, é o que leva as pessoas a atos louváveis da virtude. Islam visa melhorar e ampliar o senso moral em cada ser humano e adornar o caráter do indivíduo com a mais nobre das virtudes.

Os princípios morais islâmicos, portanto, apelam naturalmente ao intelecto humano, ao mesmo tempo que elevam a busca da moral ao nível de adoração. Isto é porque o Islam mantém toda ação que é feita com o objetivo de alcançar o prazer de Deus de ser adorado.

Moralidade e Indivíduo

O princípio orientador para o comportamento de um muçulmano é o que o Alcorão se refere como Al `Amal Assalih ou ações virtuosas. Este termo abrange todos os atos, não apenas os atos de adoração externos.

Alguns dos traços de caráter mais primários esperados de um muçulmano são piedade, humildade e um profundo senso de responsabilidade para com Deus. Espera-se que um muçulmano seja humilde diante de Deus e com outras pessoas. O Islam também exige que todos os muçulmanos exerçam o controle de suas paixões e desejos.

O Islam adverte contra a vaidade e o excesso de apego aos prazeres efêmeros deste mundo. Embora seja fácil permitir que o mundo material preencha nossos corações, o Islam exige que os seres humanos mantenham Deus em seus corações e usem o mundo material com moderação e de acordo com a orientação de Deus. O Glorioso Alcorão diz:

“Um dia, quando a ninguém beneficiarem nem riquezas nem filhos, “Exceto a quem chegar a Allah, com coração imaculado.” [Sagrado Alcorão 26:88-89]

A caridade é um dos atos mais louváveis no Islam. Na verdade, Zakat, a caridade anual que é obrigatória para todos os muçulmanos que acumulou riqueza acima de um certo nível, é um dos pilares do Islam.

A gratidão na prosperidade, a paciência na adversidade e a coragem de defender a verdade, mesmo quando inconveniente para si mesmo, são apenas algumas das qualidades que cada muçulmano é encorajado a cultivar.

Moralidade e Sociedade

Para um indivíduo e uma sociedade, a moral é uma das fontes fundamentais de força, assim como a imoralidade é uma das principais causas do declínio. Ao respeitar os direitos do indivíduo dentro de um amplo quadro islâmico, o Islam também está preocupado com a saúde moral da sociedade.

Assim, tudo o que leva ao bem-estar do indivíduo e da sociedade é moralmente bom no Islam, e tudo o que é prejudicial é moralmente mau.

Dada a sua importância para uma sociedade saudável e justa, o Islam apoia a moral e as questões que levam ao aprimoramento da moral e impede a corrupção e questões que levam à disseminação da corrupção. As prescrições e proibições no Islam devem ser vistas nesta luz.

Conclusão

A moral no Islam aborda todos os aspectos da vida de um muçulmano, desde saudações às relações internacionais. É universal no seu alcance e na sua aplicabilidade.

Um muçulmano não só deve ser virtuoso, mas também intimar a virtude. Ele / Ela não deve apenas abster-se do mal e do vício, mas também deve se envolver ativamente para pedir às pessoas que os evitem. Em outras palavras, eles não só devem ser moralmente saudáveis, mas também devem contribuir para a saúde moral da sociedade como um todo.

O Profeta Muhammad (a paz esteja com ele) resumiu a conduta de um muçulmano quando disse:

“Meu Sustentador me deu nove comandos: para permanecer consciente de Deus, seja em privado ou em público; para falar com justiça, seja zangado ou satisfeito; para mostrar a moderação tanto quando pobre e quando rico, para reconciliar amizade com aqueles que se separaram de mim; para dar a ele quem me recusa; que meu silêncio deve estar ocupado com o pensamento; que o meu olhar deve ser uma advertência; e que eu devo comandar o que é certo. “

Load More Related Articles
Comments are closed.

Check Also

Por que Allah (Deus) Enviou Profetas?

As Pessoas Precisam De Profetas? Por que Deus Enviou Profetas? Um livro significativo requ…